25/09/2011

Você consegue superar um ressentimento?

Quando foi a última vez que você ficou ressentido com alguém? Talvez foi com um namorado que traiu você, um estranho que te tratou de modo injusto, um amigo que passou a perna nos seus negócios, ou um pai que te machucou fisicamente. Talvez isto tenha ocorrido a muito tempo , no entanto os sentimentos de pesar e a sensação de injustiça estão frescos o suficiente para que eles ainda machuquem você. O que podemos fazer para superar esses sentimentos e memórias dolorosas?
Quando somos acusados de algo em um nível pessoal, ficamos chocados e magoados. A "Mulher ou Homem das Cavernas" que habita em nós quer saltar num instinto inicial de autodefesa. Nosso ego em uma tentativa de refutar a falsas acusações e se defender quer vir a tona de forma "racional", ficando na defensiva ou querendo retaliação total. 
Quem ja passou por isso sabe que é uma sensação muito negativa.
O que se pode fazer para superar esses padrões de pensamento negativo? O que podemos fazer para abandonar os sentimentos conjurados por ações de outras pessoas
Particularmente eu acredito que é preciso liberar essa energia para nos libertarmos. A chave para a liberdade mental está dentro de cada um e em nenhum outro lugar.

Observando o Ressentimento
Quando mergulhamos profundidamente na raiz do ressentimento é possível observar que a causa sempre gira em torno do nosso ego e da tentativa da mente de nos proteger (da extinção). 
Na observação experimentamos o Choque do Ego - quando sentimos que o ego ficou ferido.
Na tentativa de defender o ego, entramos no Modo Defesa - onde traçamos estratégias de ataque e planos de defesas. Isto incluiu uma lista de coisas prejudiciais que se pode dizer ou fazer para o atacante.
Quanto mais se pensa mais Raiva você nutre, mais sofre e mais escravos nos tornamos dos reflexos emocionais de nossos instintos animalescos.

Dica para Superar o Ressentimento

Não negue ou tente suprimir estes sentimentos. Mas sim, use métodos responsáveis ​​para lidar com essas emoções desconfortáveis ​​e desagradáveis.
Por mais difícil que possa parecer, enquanto estamos experimentando raiva contra alguém, as chaves para superar a emoção primeira passa pela compreensão e, finalmente, termina em perdoar. Isto parece um contra-senso, já que nossos instintos nos dizem que precisamos de nos defender, e possivelmente ir para cima com tudo e ferir a outra pessoa.
O entendimento nos dá uma visão do que a outra pessoa está sentindo. Antes de procurar entender, é preciso encontrar um lugar de clareza dentro de nós mesmos. Clareza significa que podemos sair de nossas cavernas interiores,  e que somos capazes de ver a situação pelo que ela é. E rapidamente torna-se claro que a outra pessoa estava agindo de acordo com os seus instintos interiores de homem/mulher das cavernas interior, e, portanto, estavam cegos para suas próprias emoções.

1. Clareza

Nesta etapa, o objetivo é se sentir bem novamente. Quando nossas mentes estão tomadas por pensamentos aleatórios de dor e ressentimento, é quase impossível de superar qualquer coisa. Portanto, precisamos primeiro encontrar a paz dentro de nós mesmos. Quando buscamos a paz e a clareza, em última análise, estamos criando um espaço dentro de nós mesmos para possibilidades alternativas e cura. Sem o qual, permaneceremos em um ciclo interminável de dor e sofrimento desnecessários.

Dica prática 1: Expresse as suas emoções sem fisicamente prejudicar ninguém (inclusive você mesmo). Se você sentir raiva, expresse essa raiva verbalmente (enquanto você está sozinho) com a intenção de liberá-la completamente. Solte os bichos: dê pequenos pulinhos, chore em voz alta ou faça sons incomuns. Observe e ouça o seu corpo,  ele informa como ele quer liberar essa energia negativa. Dê a si mesmo um limite de tempo de, digamos, 5 a 10 minutos em que você deve expressar toda sua raiva, verbalmente ou por escrito. Corra, caminhe, dance (minha preferida), exercite-se. Muitas pessoas acham o exercício uma forma eficaz de liberar a energia tóxica. Mas cuidado para não lesionar a musculatura.

Dica prática 2: Encontre a Paz através da atenção focalizada - Sente-se de modo confortável e feche os olhos. Traga o seu foco para sua respiração. Concentre toda sua atenção na inspiração e na expiração. Faça isso por cerca de cinco minutos. Em seguida, coloque a atenção no seu coração. Concentre-se em todas as coisas que você é grato na sua vida, agora. Você pode visualizar cada pessoa ou coisa, ou você pode ouvir o som dessas coisas faladas em sua mente. 


VOCÊ ESTÁ NO CONTROLE

Lembre-se que você está no controle de seus pensamentos e ações. 
Lembre-se da pessoa responsável que você é - usando a verdadeira definição de responsabilidade: a capacidade de responder, ou a habilidade de controlar nossas respostas. Mapear o pior cenário e aceitá-lo. Muitas vezes você vai achar que o pior cenário não é tão ruim quanto o cenário terrível que você sonhou em sua mente.

2. Compreensão
Agora que nós colocamos o nosso eu das cavernas de lado, podemos olhar objetivamente para a situação pelo que ela é. Podemos procurar entender o que está causando na outra pessoa esse comportamento particular.
Na maioria dos casos, uma vez que tenhamos descoberto a causa para seu comportamento, veremos que muitas vezes não é um ataque contra nós, mas um reflexo de seu instinto primitivo para se auto-proteger. Ou seja, não é pessoal! Quando as pessoas estão com dor (feridas emocionalmente), elas às vezes espalham essa energia para os outros. Quando as pessoas agem de modo a te ferir estão na verdade refletindo o estado próprio estado interno (frustração, dor, mágoa) e aqui elas perderam a capacidade de comunicar de forma racional e com consideração.
Procure compreender que as pessoas, por natureza, não querem prejudicar os outros, mas as circunstâncias que desencadeiam o seu eu das cavernas levam elas a agirem dessa maneira. 

Liberdade de Expressão - Aceite que é bom para o outro ter pensamentos e/ou sentimentos negativos em relação a você. O outro têm a mesma liberdade de pensamento e liberdade de escolha, assim como você. Escolha a compreensão. Escolha a compaixão. Escolha fazer a coisa certa ao permanecer honesto consigo mesmo. Fora isso, não se preocupe com o outro e deixe-o ir. Não podemos controlar as ações de outras pessoas, então por que devemos exercer a energia tentando? Que os outros sejam, o que podem ser e que ainda assim encontrem a paz com isso.


3. Perdão
"Não perdoar alguém é como beber veneno e esperar que a outra pessoa morra. " ~ Desconhecido

O perdão é um processo gradual. 
O objetivo aqui é encontrar a paz com a situação e seguir em frente com nossas vidas. A vida é curta demais para que nos debrucemos sobre o passado ou sobre as opiniões de outras pessoas nosso respeito. Dê a si mesmo um presente de liberdade: perdoe com compaixão, graça e entendimento.
Perdoe a si mesmo - Perdoe-se por ter tido pensamentos de vingança, ódio, raiva, ressentimento, arrependimento, etc. 

Não sabe como? Ouça o Podcast falando sobre Perdão e faça uma faxina interior de corpo, mente e emoção. Você irá lançar um novo olhar sobre todos aqueles que te "feriram"
CLIQUE no link >>> https://youtu.be/_DkfST2uULw


Escolha Estar Bem!

Por Silvia Parreira


COMO SUPERAR UM AMOR NÃO CORRESPONDIDO
Programa de Superação Afetiva
4 Sessões - Online ou Presencial

Cursos e Programas Exclusivos de Coaching

Cursos e Programas Exclusivos de Coaching